sábado, março 19

GRAU DE SENSIBILIDADE

Me pergunto quem será essa pessoa dentro de mim que eu quero que me ame sem eu a amar com os conceitos que a humanidade me oferece de amor. Só exercito um sentimento novo de espanto e deleite e propriedade e enjoo e esquecimento que não tem nome, mas é original. Mãe é nome que não dá conta memso, seu preenchimento foi sendo equivocado de relato pra relato, de mito pra mito. Estou sendo é mulher!

Angélica Castilho
Rio de Janeiro, 15 de março de 2011.

Um comentário:

Aline Fernandes Thosi disse...

eu adoro o jeito que vc escreve!!!